Problemáticas

junho 18th, 2009

         Em algumas regiões de Sergipe, na sua cidade ou próximo a ela, você pode ver que as áreas de manguezais são tão pequenas, porém será que sempre foram assim? Apesar de sua grande importância, os manguezais estão enfrentando grandes problemas em diversas regiões.

         A exploração da fauna dos manguezais (caranguejos, siris, ostras), em altas taxas, também é um impacto negativo no ecossistema, já que pode levar a diminuição ou até mesmo a extinção de populações inteiras de animais. A partir disso, o homem não vai ter mais um fonte de alimentação e renda, acabando assim com a subsistência das famílias que dependem do mesmo, bem como com a dinâmica no manguezal que depende da existência dessa fauna.

         O desmatamento nos manguezais, acaba por destruir também a cadeia detrítica, que é muito importante para a produtividade dos manguezais. Além disso, a retirada de toda vegetação do ecossistema, causa a perda do abrigo para os animais que ali vivem, bem como dos outros animais que dependem do manguezal de forma indireta. Como consequência da perda da fauna, as famílias que dependem da pesca e do trabalho de catar caranguejos, siris e moluscos, irão perder sua fonte de renda e de subsistência.

 

dsc00790

    Mangue devastado devido aos processos de urbanização.

 

 

      O aterro das áreas de manguezais para a expansão urbana, sem planejamento, também é um grave problema. Em Aracaju, a construção do bairro Jardins é um exemplo do aterro do ecossistema, deixando apenas uma área minúscula de manguezal, o Parque Ecológico Tramandaí, que mesmo assim, seu canal de maré recebe esgotos domésticos e lixo. 

 

 

dsc00786

Placa localizada próxima ao parque.

 

 

 

dsc00792

Canal de maré do Parque Tramandaí recebe esgoto e lixo.

 

        Outro exemplo é o Bairro Coroa do Meio, que foi construído a partir do aterro de grandes áreas de manguezal e que vem sofrendo com problemas de erosão, já que o mangue que impedia esse processo não existe mais.  

         Outra atividade prejudicial ao ecossistema, é a remoção do mesmo para a construção de tanques para atividades de carcinicultura (criação de camarões em viveiros).

 

dsc00915

Remoção do manguezal para construção de tanques. (Rio São Francisco)

 

       Além de destruir o manguezal, tal prática acarreta na diminuição da diversidade dos estuários pelo lançamento de substâncias prejudiciais ao ambiente na água. Ainda tem mais, com a destruição do ecossistema, a carcinicultura emprega apenas duas pessoas por hectare, em uma área onde antes serviam para manter a subsistência de dez famílias.    

 

 

dsc00905

Porta de saída dos efluentes dos tanques.     

 

 

         O despejo de lixo, esgotos domésticos e industriais sem nenhum tratamento, também causam problemas ao ecossistema, como o “tapamento” das lenticelas (estrutura de respiração do mangue), acarretando na morte das plantas por falta de ar.

 

000_0498

Esgoto lançado em área de manguezal do bairro Coroa do Meio. (Aracaju - SE)

 

        Além disso, a contaminação da fauna por substâncias prejudiciais a saúde, chega ao homem através da ingestão desses animais. Outro fator que, muitas vezes você pensar ao passear pelo calçadão da praia 13 de Julho, em Aracaju, ser natural do manguezal, é o mau cheiro, que na realidade é causado pelo esgoto e lixo que é lançado no ecossistema.

 

dsc00799

Esgoto doméstico lançado na praia 13 de Julho. O verdadeiro cupado pelo mau cheiro.

 

         Apesar de saber da importância dos manguezais, você poderia imaginar que ele sofre tantos impactos? E em sua região, que impactos negativos você já viu nos manguezais? Caso você não tenha ficado perdido no meio de tanta degradação, envie-nos suas dúvidas e sugestões.

          

                                 Texto escrito por: Dante Luís S. Mariano

 

Voltar

 

Referências Bibliográficas

ALVES, S. N. Ecofisiologia do Manguezal. Org. Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Aracaju: Degrase, 2008.  

LANDIM, M.; GUIMARÃES, C.P. Manguezais do Rio Sergipe. In: José do Patricínio Hora Alves. (Org.) Rio Sergipe – importância, vulnerabilidade e preservação. Aracaju: Os Editora, 2006.

MASTALLER, M. Resumo da literatura sobre conceitos do uso de áreas de mangue, com referência especial para a aqüicultura artesanal. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), S/D.

A carcinicultura é o câncer do Brasil. Artigo, acessado e disponível em:

http://www.midiaindependente.org/pt/red/2006/09/359384.shtml

Uma resposta em “Problemáticas”

  1. Vinicio Ferreiraon 18 nov 2010 at 14:40

    Precisamos incomodar os governantes para que estes sejam obrigados a respeitar as leis ambientais.

    Estou a disposição e muito interessado no assunto.

    Parabéns pela iniciativa de abordar o tema publicamente.

Trackback URI | Comments RSS

Deixe sua opinião